HOME > NOTÍCIAS



HOME > NOTÍCIAS




COMPORTAMENTO


Instagram é a rede com pior impacto para saúde mental dos jovens, diz pesquisa

Os pesquisadores destacaram o fato de que as redes que ficaram na pior colocação estão muito relacionadas à imagem pessoal.

Publicada em: Sexta-feira, 19 de Maio de 2017



O impacto das redes sociais na vida dos jovens é alvo de diversos estudos ao redor do mundo. Em uma dessas pesquisas, a Sociedade Real para Saúde Pública (RSPH, na sigla em inglês) verificou que o Instagram é a rede que traz mais danos à saúde mental dos jovens.

O estudo pediu a 1.479 usuários, com idade entre 14 e 24 anos, que classificassem Instagram, YouTube, Snapchat, Facebook e Twitter em relação 14 quesitos, entre eles, ansiedade, depressão, solidão, bullying, e imagem sobre o próprio corpo. Ao final da avaliação, o Instagram era a rede social com piores resultados, seguido do Snapchat. O youtube foi a rede social classificada mais positivamente pelos jovens. Os pesquisadores destacaram o fato de que as redes que ficaram na pior colocação estão muito relacionadas à imagem pessoal.

"É interessante ver que Instagram e Snapchat aparecem no ranking como os piores para a saúde mental e bem-estar. Ambas as plataformas são muito focadas na imagem e parece que eles estão gerando sentimentos de inadequação e ansiedade nos jovens", afirmou Shirley Cramer, chefe executiva da RSPH.

De acordo com a RSPH, as redes sociais podem estar alimentando uma crise de saúde mental entre os jovens. Especialistas em saúde pedem que as empresas responsáveis por essas redes tomem algumas medidas. Uma das sugestões é que as redes exibam alertas de uso excessivo da plataforma. Outra medida é que essas empresas sinalizem quando a foto for alterada digitalmente no caso de redes de celebridades, modelos e propaganda de marcas.

"À medida que cresce a evidência de que pode haver danos potenciais devido ao uso intenso de mídias sociais, e à medida que melhoramos o status de saúde mental dentro da sociedade, é importante que tenhamos controle e equilíbrio para fazer com que as mídias sociais não sejam como um "velho oeste" no que diz respeito à saúde mental e ao bem-estar dos jovens", disse Cramer.

Em resposta à pesquisa, diretora de política do Instagram, Michelle Napchan, afirmou que "manter o Instagram um lugar seguro e de apoio, onde as pessoas se sentem confortáveis se expressando, é nossa prioridade máxima - especialmente quando se trata de jovens."

Fonte: O Globo

Edição: A.N.