HOME > NOTÍCIAS



HOME > NOTÍCIAS




VOCÊ PRECISA SABER


Compressa quente ou fria? Saiba quando fazer cada uma delas

Fazer gelo ou calor são técnicas simples e baratas de aliviar dor, porém, se usadas de forma errada, o efeito pode ser o inverso e o sintoma até piorar

Publicada em: Segunda-feira, 10 de Outubro de 2016



Duas técnicas simples e baratas de aliviar dores são as compressas quentes e frias. Mas é preciso atenção. Se a pessoa acabar usando calor quando o correto seria gelo, a dor pode se intensificar.

“Nunca devemos usar o calor em situações de traumas, contusões, entorses ou lesões ligamentares nas primeiras 48 horas. Isso pode aumentar o fluxo sanguíneo no local e aumentar o processo inflamatório e o inchaço”, afirma o Dr. Leandro Gregorut, ortopedista especialista em Medicina Esportiva da Rede de Hospitais São Camilo. A mesma regra da compressa serve para as pomadas que esquentam a região traumatizada.

O especialista explica que a compressa fria tem o objetivo de diminuir a temperatura no local, causando diminuição do fluxo sanguíneo superficial e, após cerca de 15 minutos, uma vasodilatação das veias e arteiras profundas, diminuindo o acumulo de um processo inflamatório e drenando o edema ou hematoma formado. “Já a compressa quente tem a finalidade de relaxar a musculatura. Pode também trazer conforto para as articulações que estão em estado de contração ou apresentam algum problema crônico.”

Mas nada de pensar que “quanto mais quente melhor”. A pessoa deve ficar confortável com a compressa. Temperaturas muito altas podem causar uma lesão na pele e até queimaduras.

Quando usar gelo

O especialista indica usar compressas frias ou gelo no caso de traumas, entorses e distensões. Para que o resultado seja alcançado, o melhor é fazer nas 48 horas seguintes ao ocorrido. A técnica poderá reduzir o inchaço e anestesiar as fibras nervosas, diminuindo ou até mesmo parando a dor.

A pessoa pode usar um saquinho plástico com gelo ou uma bolsa de gelo ou de gel térmica. Também dá para fazer uma “bolsa de gel caseira”, misturando um copo de álcool com dois de água dentro de um saco plástico. “A vantagem é que as aplicações da com gel não causam um ponto de pressão especifico como as pedras de gelo fariam, distribuindo melhor a área de contato com a pele.”

Para que a pele não sofra uma queimadura com a baixa temperatura, o ortopedista recomenda proteger a região com um pano fino ou uma camiseta – já uma toalha pode ser muito grossa para essa finalidade. “O tempo correto de utilização é de 30 minutos, a cada 2 horas, para grandes articulações tais como ombro, joelho, tornozelo, punho e cotovelo. Para os dedos do pé e das mãos, deve ser de no máximo 15 minutos.”

Ficar muito tempo com a compressa fria pode causar lesão celular. A técnica também não é recomendada, em nenhuma situação, na região da coluna, já que pode causar uma contratura muscular e piorar a dor.

Quando usar calor

De acordo com Gregorut, a compressa quente tem ação analgésica. O calor pode ser usado em casos de contraturas musculares, como torcicolos, dorsalgias e lombalgias, e também ajuda nos sintomas de doenças reumáticas ou artroses, gerando alívio. Lembrando que a temperatura deve ser sempre suportável, para não causar queimadura, e o tempo de duração é até a compressa esfriar.

Fonte: IG

Edição: A.N.