Home / Mais por você / Notícias / Assintomática, hipertensão pode causar lesão repentina
Mais por Você

Assintomática, hipertensão pode causar lesão repentina

Normalmente, o paciente de hipertensão não apresenta desenvolvimento de sintomas, mas a elevação normal das artérias significa riscos de distúrbios como AVC.
Quinta-Feira, 28 de Janeiro de 2010
Foto: Divulgação

A pressão alta ou hipertensão é geralmente um distúrbio assintomático. Isso significa que, habitualmente, não há desenvolvimento de sintomas, a menos que seja grave ou de longa duração. O fato é que a elevação anormal da pressão nas artérias aumenta o risco de distúrbios como acidente vascular cerebral (popularmente conhecido por derrame), ruptura de um aneurisma, insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio e lesão renal.

Quando se mede a pressão arterial, registam-se dois valores. O maior mede a contração do coração (a sístole, ou a força que o coração faz para bombear o sangue); o menor indica o relaxamento entre um batimento e outro (diástole) e, por tabela, a resistência que a artéria oferece à passagem do sangue. A notação para indicar a pressão arterial traz a medida da pressão sistólica seguida de uma barra e, em seguida, a pressão diastólica. Por exemplo, 120/80 mmHg (milímetros de mercúrio), ou simplesmente “doze por oito”.

A pressão arterial elevada ocorre com uma pressão sistólica sustentada e em repouso igual ou maior que 140 mm Hg, uma pressão diastólica igual ou maior que 90 mmHg, ou as duas coisas ao mesmo tempo. Aliás, na hipertensão em geral tanto a pressão sistólica como a diastólica estão nessas faixas ou além delas.

A diretriz da Sociedade Brasileira de Hipertensão é um pouco mais rigorosa do que o patamar consagrado nos manuais médicos: são consideradas anormais as médias de pressão arterial acima de 135/85 mm Hg.

Para configurar um quadro hipertenso, tanto o coração pode bombear com mais força, ejetando mais sangue a cada minuto, quanto as artérias podem ficar rígidas, não se expandindo para permitir a passagem do sangue bombeado pelo coração. Assim, o sangue ejetado em cada batimento cardíaco é forçado através de um espaço menor que o normal. Uma terceira forma de elevação da pressão é quando os rins funcionam mal e são incapazes de remover a quantidade adequada de sal e água do organismo. O volume de sangue no corpo aumenta e a pressão arterial também.

Em praticamente todos os indivíduos a pressão arterial aumenta com a idade, com a pressão sistólica aumentando até os 80 anos de idade e a pressão diastólica aumentando até os 55 ou 60 anos.

Ainda segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, há 30 milhões de hipertensos no Brasil: 36% deles não fazem controle nenhum da doença, 41% abandonam o tratamento logo depois de uma melhora inicial e só 23% obedecem a um controle adequado. Para piorar, a medição da pressão é realizada em apenas 29% das consultas médicas no país.

O resultado, que poderia ser evitado, é o seguinte: a pressão alta é responsável por 40% dos infartos, 80% dos AVCs e 25% dos casos de insuficiência renal terminal.


Fonte: G1
Edição: P.R
28.01.2010

Comentários
  • Nenhum Comentario cadastrado

  • ADICIONAR COMENTÁRIO
    © 2004-2014 Medplan Assistência Médica. Todos os direitos reservados. Fale com o Medplan: (86) 3131-8888 | medplan@medplan.com.br Atendimento 24h: (86) 3131-0707 Informações: (86) 3131-8888 Rua Coelho Rodrigues, 1921 - Centro CEP 64000-080 TERESINA-PI