Nutrição

Guia Alimentar para a População Brasileira é base de orientação para clientes, diz nutricionista

O documento descreve quais cuidados e caminhos se deve seguir para alcançar uma alimentação saudável, saborosa e balanceada, além de dar uma atenção especial para alimentos regionais.

Quinta-Feira, 16 de Abril de 2015

O Ministério da Saúde divulgou nessa semana novas estatísticas preocupantes sobre a situação nutricional do brasileiro: mais de 50% da população está acima do peso ideal. Este quadro é resultado da soma de diversos fatores, sendo o principal deles a má alimentação aliada ao sedentarismo.

Ciente deste realidade, o Ministério da Saúde, juntamente com a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS, reformulou no final do ano passado o seu Guia Alimentar, tornando-o mais próximo da realidade do brasileiro e transformando-o no Guia Alimentar para a População Brasileira, que descreve quais cuidados e caminhos se deve seguir para alcançar uma alimentação saudável, saborosa e balanceada, além de dar uma atenção especial para alimentos regionais.

A nova edição recomenda que a alimentação tenha como base alimentos frescos (frutas, carnes, legumes) e minimamente processados (arroz, feijão e frutas secas), além de evitar os ultraprocessados (como macarrão instantâneo, salgadinhos de pacote e refrigerantes), simplificando a fórmula de porções recomendadas de alimentos de cada grupo e que termina sendo mais difícil de colocar em prática.

De acordo com a nutricionista do Medplan, Suiane Amorim, o documento serve como uma boa base de orientação para os clientes que buscam acompanhamento nutricional. “Nós sempre fazemos um cardápio totalmente individualizado, respeitando as necessidades e limitações nutricionais do cliente. Mas muito do que o Ministério recomenda através do Guia é fundamental na rotina alimentar que nós utilizamos como base para todos, que prioriza alimentos in natura e o aproveitamento total dos alimentos, como cascas, sementes e polpas”, explica.

Na proposta do Guia Alimentar, também está a promoção de saúde e a boa alimentação, e prevenção de doenças em ascensão, como a obesidade, o diabetes e outras doenças crônicas, como AVC, infarto e câncer.

Outro destaque do documento está no estímulo ao preparo das refeições, pois o ato de cozinhar, além de disseminar a cultura, promove uma alimentação mais saudável.

Confira abaixo os 10 passos para uma Alimentação Adequada e Saudável

- Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação

- Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias

- Limitar o consumo de alimentos processados

- Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados

- Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia 

- Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados

- Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias

- Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece

- Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora

- Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais

Saiba mais informações sobre Guia neste vídeo divulgado pelo Senado Federal:

Link vídeo

https://www.youtube.com/watch?v=rDQv4IJMhT0

Link para o Guia em pdf

http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2014/novembro/05/Guia-Alimentar-para-a-pop-brasiliera-Miolo-PDF-Internet.pdf

A.N.

Comentários

Nenhum comentário cadastrado. Seja o primeiro!

Adicionar comentário