André Gonçalves

Coisas de amor largadas na noite

Cannibalis

Terça-feira, 10 de Maio de 2011















Cannibalis

da poesia
congelada
quero só o que escorre
pelas frestas
pelas bordas
pelo ralo
pelas costas

deixa intacta a letra morta
deixa o corte
fecha o lacre
deixa o corpo
esconde as sobras
dos famintos
cães da noite

da carne avermelhada
quero um pouco do suor
quero só o que importa
polpa fresca
intemperada
fibras mortas
devoradas

da poesia
quero o sal
quero o gosto
a mordedura
até que o vento
doure os nervos
e a mandíbula
proeminente
solte o verbo
morda a línga
e engula a dor presente.




André Gonçalves é autor do livro Coisas de Amor Largadas na Noite, disponível para compra pelo mail andrepiaui@hotmail.com


F.C.
10.05.2011

Comentários

Nenhum comentário cadastrado. Seja o primeiro!

Adicionar comentário